Símbolos do Santanópolis

FOTO OFICIAL DO ENCONTRO

FOTO OFICIAL DO ENCONTRO

terça-feira, 13 de novembro de 2018

A ÚLTIMA NOITE DE NATAL

Georgina de Melo Erismann
Santanapolitana, criou a 1ª
Escola de música de Feira de
Santana, no Ginásio Santanópolis 

Noite em que as estrelas brilham mais
e, em nossos olhos, muitas lágrimas cintilam.
Recordação de outros Natais:
Infância. . . Adolescência . . .
O simbolismo do Presépio,
os bailes pastoris . . .
Dona Saudade aviva. nossa lembrança,
e uma onda de pranto orvalha nosso rosto,
como a nuvem lilás de um sol-posto.

Foi neste mesmo salão verde-esperança,
que levantamos o pinheiro clássico.
faiscante de brinquedos, de aljôfares e de patilha...
Para nosso encantamento.

A' hora do sorteio, você irmã querida
tirou um telefone
e para mim saiu a cornetinha colorida.
Rolou o tempo fugaz, na sua louca vertigem.
Hoje é Natal novamente...
Mas tudo tão diferente!
Você partiu para longe e o céu ganhou uma virgem.
Tenho ainda a cornetinha,
que me dá tanta emoção...
Mas quisera o telefone,
porque pediria ao céu
uma doce ligação...

Publicado no jornal "O CORUJA" edição nº 19 de 24 de dezembro de 1955. Jornal dos estudantes do Colégio Santanópolis.


AS ANIVERSARIANTES

Bernadete
Fátima
 O trio de santanopolitanas aniversariantes são Bernadete onsêca Guerreiro, Maria de Fátima Moraes Casaes e Reinalúcia Nascimento da Silva. Parabéns, esperamos que esta data se repita por muitos anos, encontrando-as com saúde.


Reinalucia

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

IMAGENS ANTIGAS DE SALVADOR - I

Lacerda
 Lacerda é fotografo amador, colecionador de imagens. Capturei no ZAP dele as fotos abaixo. Estou postando em duas partes. Abaixo as dez primeiras. 






Esta estrada tinha o traçado totalmente
 diferente cheia de curvas, passava
 na cidade de São Sebastião,
chegava em Feira pela
rua Senador Quintino.




ANIVERSÁRIO DE IRMÃ ROSA


Comemoram mais um ano de vida o Santanopolitana, Irmã Rosa Aparecida, responsável, juntamente a outra santanopolitana, Elizabete, a uma das maiores obra de caridade de nossa terra, o "Dispensário Santana". Parabéns pelo aniversário e por esta bela instituição..

domingo, 11 de novembro de 2018

PERFIL DE HUMBERTO HUGO ALENCAR


Nasceu no dia 15 de abril de 1917, em Crato-CE. Filho de Inácio de Loyola de Alencar e Raimunda Felícia de Alencar.
Cursou o Ginásio no Liceu, em Fortaleza/ CE e o Secundário no Ginásio da Bahia, em Salvador-BA. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Bahia, em 1939.
Exerceu as seguintes atividades profissionais: Redator, repórter e cronista dos jornais: O Imparcial, O Bahia-Jornal e O Diário de Notícias, Salvador. Contribuiu para o lançamento do jornal Última Hora, chefe da seção política do jornal, Rio de Janeiro-RI; diretor do jornal Última Hora, Recife-PE, colaborador do semanário Flan, Revista da Semana, O Mundo, A Vanguarda, Boletim Cambial e a Crítica; advogado em Feira de Santana-BA e região; professor do Ginásio Santanópolis na década de 40; delegado do Serviço Nacional de Recenseamento, Feira de Santana, 1940; delegado especial de Recenseamento, Salvador, 1942; secretário do Ministro de Educação e Saúde, Rio de Janeiro-RI, 1953-1954; diretor do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários, 1957-1959; procurador da Confederação Nacional da Indústria, 1957-1963; diretor da Divisão de Análise Técnica Legislativa do Ministério da Justiça, Rio de Janeiro, 1975-1980; assessor técnico, Câmara dos Deputados, Brasília-DF, 1983-1985. Eleito deputado estadual Constituinte pelo Partido Republicano-PR, 1947-1951.
Na Assembleia Legislativa foi membro da Comissão
Constitucional (1947); 3° secretário da Mesa Diretora (1948); presidente da Comissão de Administração Municipal (1949); vice-presidente da Comissão Constituição e Justiça (1948); titular das Comissões: Constituição e Justiça (1947-1948, 1950); Viação e Obras Públicas (1947-1948); Finanças, Orçamento e Contas (1949); Negócios
Municipais (1950).
Foi casado com a Profª Arminda Emília Guimarães
de Alencar (santanopolitana), que deste casamento gerou os filhos: Hélvia Maria Guimarães Alencar (santanopolitana), professora, Assistente Social e funcionária pública da UEFS e Helder Guimarães Alencar (santanopolitano), jornalista, advogado, escritor e estudioso da vida da cidade, procurador jurídico da UEFS.
Faleceu no dia 15 de maio de 1985.
Fonte: Oliveira, Lélia Vitor Fernandes de “Legisladores Feirensess”.



sábado, 10 de novembro de 2018

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

ANIVERSÁRIOS DE BRITO E IRMA

 Carlos Alberto O. Brito e Irma Portugal Bahia, são os santanopolitanos que comemoram data natalícia hoje. Parabéns e muito axé para eles.


quarta-feira, 7 de novembro de 2018

terça-feira, 6 de novembro de 2018

A P-ADA

Pergunta-se: qual foi o primeiro número p estudado na história?
Foi a relação entre o raio do círculo e o seu perímetro, que é a relação
mais simples de p do círculo. Dizem que quem calculou seu primeiro valor foi
Arquimedes. Bem, é o que dizem, né...! Sei lá! Onde P é o perímetro do círculo
e r o seu raio:
P = 2*p1*r @ 2*3,1*r 1
Nesta mesma época Euclides utilizou a relação 1 em negrito, adotando o p como 3,1 e formulou os princípios da trigonometria do triangulo retângulo, estudando as relações dos lados do triangulo retângulo e seus ângulos. Veja que Euclides usou o p relativo ao perímetro do círculo, que chamaremos de p1.
Supomos que Arquimedes e Euclides usaram barbante nestas análises.
O p relativo à área do circulo, A=p2*r2, sinceramente não sabemos que o determinou, primeiramente, mas deve ter sido calculado nesta mesma época e tomado como 3,1, já que naquela época, na Grécia, ainda não havia o sistema de medida de hoje, moderno.
O valor de p2, da área, só foi melhor analisado na época moderna, com Taylor, que estudou as séries de Taylor, em diante, daí adotou-se o valor de como sendo único para as relações do círculo.
Veja, quem diz o que está aqui sou eu, professor Novaes, baseado em meu parco saber de história da matemática, mas a realidade do fato não deve estar longe do que dissemos e também não é o mais importante.
Depois da época de Newton e Leibniz e do cálculo integral e agora, mais modernamente, pode-se calcular o valor de p como sendo um único só: p. Eu posso calculá-lo em minha maquininha Hp com cálculo integral numérico com onze casas decimais.
p = 3,141592653359... 2
Pois bem! E o cálculo do p relativo ao perímetro do círculo? Ele é igual ao p da área ou igual ao p das séries? É? É mesmo? É por quê? Existem cálculos modernos desta determinação? Não. Adota-se como único e pronto.
Porreta! A gente se esgoela para este povo acordar e nada...!
Por que o valor de p1 é igual ao valor de p2 e igual a 3,141592653359?
O valor de p1, o mais importante da história, simplesmente foi adotado e todo mundo acha que ele é 3,141592653359...! E ainda batem palmas!
Cadê os cálculos? É só conversa mole?
Gauss tentou estudar o assunto com as tais integrais de linha e parou.
Pois bem, como eu gosto de matemática e sou bonzinho, estou dando R$ 5.000,00 (Cinco mil reais) Para o gaiato que calcular o p1 e o p2 com toda esta precisão. Vocês por acaso já calcularam o valor de p1?
Agora é calcular e demonstrar e não é com estes cálculos bizarros que estão nos livros não, como o da expansão. Este método é para calcular o valor das áreas e dos perímetros dos círculos inscritos e circunscritos conhecido o p.
Êta povo ruim de matemática e desatenciosos. Só tem fuleirada. Só.

ANIVERSARIANTES

Marla
Completam mais um ano de vida as santanopolitanas, Ana Maria da Silva Marcelino e Marlene de Jesus Valverde Barreto (Marla). Parabéns e vida longa para a dupla. 

Filme do Santanopolis dos anos 60