Símbolos do Santanópolis

FOTO OFICIAL DO ENCONTRO

FOTO OFICIAL DO ENCONTRO

sábado, 29 de novembro de 2014

O PERIGO DAS AFIRMAÇÕES

Hugo Navarro Silva
Cidadão recentemente falecido e famoso por suas tiradas, indagado por balconista de loja se queria levar o veneno de ratos que andava procurando respondeu imediatamente: Não. Eu vou trazer os ratos aqui! Era um brincalhão.
Erasmo, o de Rotterdam, escreveu que toda definição é perigosa, provavelmente certo  de que definições sempre correspondem a afirmações. Fato é que em alguns setores de atividade  como o da política partidária, todo mundo foge como o diabo da cruz das afirmações principalmente se encerrem verdades, porque verdades sempre carregam todo tipo de perigo. É atribuída a Eça de Queiroz, a afirmativa de  que “políticos e fraldas devem ser trocadas de tempos em tempos e pelo mesmo motivo”. A assertiva, que poderia ser aplicada ao Brasil de hoje,sem dúvida encerra exagero e dos  grandes. No Brasil, por incrível que pareça, sobrevivem políticos sérios, honestos, dispostos a cumprir o dever e trabalhar pelo povo,  mas vivem acossados,  como a maioria da população, pela onda de corrupção e de franca e desembestada roubalheira que se introduziu em setores oficiais do país, nos últimos anos, para tentar aplacar velhas e insaciáveis fomes de quem se apresenta  como reformadores do mundo quando na verdade são predadores do resultado do trabalho,  do esforço e das esperanças de um povo. Esses  sujeitos que estão a talar a economia nacional, a assaltar impunemente os cofres públicos e privados é que são os verdadeiros bandidos, malfeitores e criminosos que deveriam estar na cadeia  no lugar de miseráveis que muitas vezes cometem furtos para não morrer de fome.
 Advogado de um dos ladrões envolvidos no escândalo da Petrobrás, empresa desmoralizada por  escandalosos e vergonhosos desvios de verbas, que andam diariamente  a render e a provocar espanto em todo o país, afirmou, provavelmente para tentar minorar, aos olhos do povo, as culpas de seu cliente, que no Brasil não se mexa numa pedra sem propina. A afirmativa do defensor provocou manifestações de repúdio em todo o território nacional, de gente mais preocupada em defender os poucos homens sérios que se mantêm fora da onda de roubalheira, que comanda o país, do que para poupar de ataques ou acobertar o triste panamá que infelizmente se estabeleceu no Brasil.
A roubalheira é tão grande que agentes da polícia anunciam viagem a paraísos fiscais em busca de numerário desviado da Petrobrás, com poucas possibilidades de recuperar o montante dos furtos da mesma forma que a investigação  pode ficar longe do  verdadeiro alcance das atividades dos criminosos, porque é sabido que  os crimes  de corrupção guardam características semelhantes às dos  delitos de “serial killers”: por mais completas que sejam as conclusões da investigação, por mais confissões e delações que haja, inclusive as premiadas,  os fatos nunca serão inteiramente esclarecidos. Sempre sobrarão áreas cinzentas, destinadas ao esquecimento da imprensa e das próprias autoridades policiais, que geralmente não estendem seus  esforços além dos estritamente necessários a uma possível condenação do indiciado.

As conclusões da devassa da Petrobrás estão longe do final  e já se anuncia outro monumental escândalo de desvio de verbas de importante órgão do governo federal. Por muito menos, quase nada comparado ao paraíso da roubalheira atual, o presidente Fernando Collor de Mello foi deposto por “impeachment” e muita gente haverá de se lembrar da alegria com que representantes de órgão, que anda a assumir a posição de  palmatória do mundo, de braços dados marchando para o Congresso para ajudar a crucificar Collor. Hoje, a mesma entidade abriga os que apoiam e batem palmas para os ladrões. Sinal dos tempos? Não. Falta de vergonha!
Hugo Navarro da Silva - Santanopolitano, foi aluno e professor do Colégio Santanópolis. Advogado, jornalista escreve para o "Jornal Folha do Norte". Gentilmente, a nosso pedido, envia semanalmente a matéria produzida

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

FAMÍLIA DIAS

Jusssara, Mara, Sonja, Juquinha, Vanja,
Kátia, Marcelo, Nádia e Tãnia
A família Simões Dias, todos Santanopolitanos. Belo registro fotográfico

ANIVERSÁRIOS DE ONTEM E DE HOJE



Léo
 Anivesariaram ontem 25/11, Antônio Ubirajara da Silva Ferreira (Léo), Eunice Mascarenhas Pereira e hoje Elza Ferreira. Aos três nossos parabéns.
Nice

Elza

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

ALUNOS DO GINÁSIO SANTANÓPOLIS DE 1937 A 1947 - 1ª PARTE

 Fonte: Nivea, Sandra – Tese de Doutorado sobre o Santanópolis – 2013
Esta relação  é a primeira de dez relações. É por ordem alfabética

Acylíno Jones Pimenta Bastos
Amélia Catapano
Adalberto Dantas Lopes
Ana de Souza Mota
Adalício de Almeida Santos
Ana Maria Alves Pires
Ademário da Silva Santos
Ana Maria de Oliveira
AgnaIdo Antonio Barroso de Azevedo
Anacleto Brandão Souza
Agrário Carneiro Meio
Angela Maria de Oliveira
Alberto Pinto da Silva
Aníbal Gomes Beilo
Alcindo Procópio Ferreira
Anselmo Alves
Alfredo de Almeida Ribeiro
Antonio Alves MagaIhães
Alfredo de Almeida Ribeiro
Antonio Aroldo Falcão de Freitas Borja
Aloísio Boaventura Cerqueira
Antonio Augusto Pires
Aloisio José Kratschmer Barreiros
Antonio Bulos
Aloizio da Silva Fraga
Antonio Carlos Simões de Carvalho Nobre
Alrelino Leal Dias da Silva
Antonio Carlos Soares Bomfim
Altamirando Cerqueira Marques
Antonio Carneiro de Meio
Altino da Silva Brito
Antonio Carvalho de Almeida
Altino da Silva Brito Filho
Antonio Carvalho Ramos
Álvaro Carvalho Araújo
Antonio da Costa Falcão
Alvaro Cerqueira Carvalho
Antonio da Silva Brito
Alzira Félix do Nascimento
Antonio de Carvalho Almeida

FAZEM ANIVERSÁRIOS HOJE


Parabéns Willy Azevêdo e Cacilda Miranda da Silva, feliz aniversários.

sábado, 22 de novembro de 2014

FILARMÔNICAS DE FEIRA DE SANTANA

Duas das três tradicionais filarmônicas de Feira de Santana: à esquerda "Filarmônica 25 de março", hoje sob a presidência do Santanopolitano Carlos Brito, em fase de soerguimento e restauração; a à direita, "Filarmônica Vitória". A terceira que não está na foto é a Filarmônica Euterpe Feirense, todas localizadas na Rua Conselheiro Franco. No princípio do século passado representavam os grandes clubes sociais, com grande influencia política.

Fonte: Cíntia Portugal  - “Caminhando pela cidade”

ANIVERSÁRIO DE AUGUSTO LIMA SANTOS

Comemora data natalícia, Augusto. Parabéns, desejamos felicidades.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

OS LIMITES DA TOLERÂNCIA

O deputado Colbert Martins, em recente entrevista radiofônica, revelou fato de que já se desconfiava a respeito do campo de pouso de Feira, apelidado pomposamente de aeroporto na linguagem oficial: Não há serviço de rádio naquele próprio reinaugurado, solenemente, às vésperas das eleições de outubro, com grandes festas, bandeira, hino e discursos, apenas para efeitos eleitorais e engodo dos otários. Ora, qualquer leigo sabe que aeroporto sem rádio, sem radar, sem sistema de iluminação para  pouso noturno ou em condições meteorológicas desfavoráveis é mais do que campo de pouso para tapeação eleitoral. É anúncio de tragédia. É o cúmulo da irresponsabilidade em busca de conquista de poder e satisfação de vaidades ainda que vidas  humanas sejam colocadas em risco.
Fatos como o do aeroporto de Feira de Santana, que contaria até com empresa operando  linha aérea regular, conforme a propaganda pré-eleitoral, e  outros que a imprensa tem ultimamente noticiado denunciando o maior esquema de corrupção do mundo, do qual ninguém no governo brasileiro tinha a menor ideia, alegando ignorância incompatível com as responsabilidades de quem governa, na verdade explicam a  inquietação, as demonstrações violentas do povo diante da situação de calamidade que se vai alastrando pelo país inteiro, não restando mais sítio ou recanto que se possa proclamar  livre da violência, da ação de criminosos que a todos ameaçam, agora, com a ajuda de urnas eleitorais de inviolabilidade duvidosa e de gigantesca compra de votos.
No começo as manifestações criaram confusão no porque tisnadas de atos de vandalismo e defurtos com a destruição de bens públicos e o arrombamento de casas  comerciais. As manifestações, passadas aquelas marcadas pela violência extrema, mascaradas de protestos contra o preço das tarifas do transporte coletivo e  contra os gastos  com os estádios da famígera “Copa do Mundo”, para surpresa de muitos continuaram a ocorrer esporadicamente em várias partes do território nacional, caracterizando-se pela queima de ônibus, veículos que na mente  do povo passaram a representar o poder público.
Boa parte da população assiste, agora, embasbacada e revoltada aos desdobramentos da operação “lava a jato” em que as vísceras do país são expostas sem rebuços e sem enganos,  mostrando algumas “operações” das que estão conduzindo o país ao caminho de ingovernabilidade, superando, em muito, o gigantesco e vergonhoso episódio do “mensalão”,  que no balanço final terminou com a vitória dos políticos envolvidos na roubalheira mas ligados ao governo, livres depois e cumprir poucos meses de prisão, para gozar da fortuna.

Agora, manifestações populares como a que ocorreu em São Paulo no dia 15, assumem a sua verdadeira direção, que de início não se mostrou inteiramente, a de   revolta contra o governo federal, que está levando o país ao caos. A desordem, a insegurança, a falta de confiança em órgãos governamentais crescem de tal forma, que a situação do país, hoje, é muito pior e mais preocupante do que a que precedeu o movimento de 1964, que ao contrário do que se propala não foi ato de prepotência nem de busca insensata do poder. Foi movimento necessário, reiteradamente pedido nas ruas pelo povo, alarmado, amedrontado com a insegurança e a baderna que se estabeleceram no país. A situação, agora, é mil vezes pior. A inflação mostra a cara, a produção descamba, o desemprego, um dos últimos sintomas da falência, começa a se manifestar.  A baderna é generalizada e o povo vê-se acossado de incertezas que vão além de todos os limites da tolerância. 
Hugo Navarro da Silva - Santanopolitano, foi aluno e professor do Colégio Santanópolis. Advogado, jornalista escreve para o "Jornal Folha do Norte". Gentilmente, a nosso pedido, envia semanalmente a matéria produzida

ANIVERSÁRIO DE MÁRCIA ESTELA OLIVEIRA


Parabéns Márcia, esperamos que hoje seja um dia festivo com muita alegria.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PERFIL DE MÁRIO GOMES MOREIRA

Nasceu em Feira de Santana, no dia 06 de junho de 1934.
Filho de Lídio Barros Moreira e Vestina Gomes Moreira.
Viveu sua infância na antiga Rua de Aurora, do que tem gratas recordações das pessoas, das brincadeiras, do campo de futebol...
Estudou suas primeiras letras na Escola João Florêncio, onde hoje funciona o Arquivo Público. Depois foi para o Colégio Santanópolis, concluindo o ginásio e posteriormente o curso de Contabilidade, em 1953.
Aos dez anos
trabalhava com seu pai numa loja de tecidos, “Loja Barros”. Com 12 anos perdeu o pai e foi trabalhar com o Sr. Ezichio Dantas Carneiro, pai do Deputado Jairo Carneiro, numa loja de tecidos. Depois tendo adquirido experiência no ramo foi convidado por Nicolau Sarkis, para trabalhar na Casa Sarkis, a chamada “Casa Verde”.
Em 1954, foi para Ubatã, a convite de Aldo Azevedo que possuía uma loja de cacau e trabalhou com ele apenas 14 dias, porque foi nomeado Tesoureiro de Ubatã, onde permaneceu no cargo durante três anos e um mês. Foi exonerado por ter se incompatibilizado com o sistema político, no dia 05 de novembro de 1957. No outro dia foi convidado para ser escriturário da CERC (Central Elétrico do Rio das Contas), que hoje é a COELBA. Em 1959, transferiu-se para a cidade de Ilhéus, para servir a mesma Companhia.
Em 1961, fez vestibular para Direito, na Faculdade de Direito de Ilhéus, hoje Universidade de Santa Cruz, concluindo em 1965.
Ao terminar o curso abandonou tudo e voltou para Feira de Santana, como diz no provérbio popular “o bom filho volta à casa paterna”.
Logo que chegou foi trabalhar com os profissionais de Direito: Dr. Jorge Leal e Fernando Pinto de Queiroz, dois dos mais competentes nesta área, com quem aprendeu muita coisa, ou seja, tratar com dignidade as pessoas, trilhar pelo caminho da honestidade, não lesar a ninguém, ser justo com as causas abraçadas, enfim tudo de bom que a pessoa almeja possuir.
Teve também o apoio de Dr. Raymundo Pinto, presidente do Tribunal do Trabalho, de Dra. Marama Carneiro, Desembargadora, os quais compartilharam do mesmo escritório.
Seu campo de ação é com causas cíveis e direitos de família e sucessões.
Em 1967, Dr. João Durval Carneiro, prefeito na época, nomeou-o como Vice-diretor do Colégio Municipal Joselito Amorim, permanecendo até 1973.
Lecionou no Colégio Santanópolis, no turno noturno as disciplinas: Direito Usual, Economia Política e O.S.P.B. (Organização Social e Política do Brasil).
Foi Consultor Jurídico da Santa Casa de Misericórdia, Presidente do Fluminense, Consultor Jurídico da Associação Comercial, Consultor Jurídico do Clube de Campo Cajueiro e do Feira Tênis Clube.
Na política, por influência de Dr. Wilson Falcão foi candidato a Vereador e conseguiu se eleger, na época em que não havia remuneração para o cargo (1973 a 1977).
Casou-se com a Prof. Magali Ribeiro Moreira, Supervisora Estadual, com quem teve dois filhos: Daniel engenheiro químico) e Wilma (médica).
Hoje exerce a profissão como advogado, dividindo o escritório com Dr. Antônio Navarro Silva.
Recebeu a Medalha Vereador Dival Figueredo Machado. no dia 05 de novembro de 2004, em comemoração ao ‘Dia Nacional do Vereador”, outorgada pela Câmara de Vereadores de Feira de Santana.




ANIVERSARIANTES DE HOJE


Luciano
Luiz
 Estão aniversariando hoje os Santanopolitanos, Luiz Carlos Nascimento e Luciano Ribeiro Santos.Nossos parabéns pela data, torcendo pela repetição por muito tempo.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

terça-feira, 18 de novembro de 2014

IMAGEM ANTIGA DA RUA SALES BARBOSA

Rua Sales Barbosa, à direita Mercado Municipal, seguindo na outra esquina, a "Folha do Norte".
Fonte: Cíntia Portugal  - “Caminhando pela cidade”

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

ANIVERSÁRIO DE ELIZABETE DIAS MARQUES


Elizabete foi aluna e funcionária do Santanópolis, na foto quando da sua formatura. Desejamos felizes anos vindouros, para o bem do "Dispensário Santana", sua dedicação em tempo integral atualmente.

ALUNOS DO SANTANÓPOLIS ORIUNDOS DE OUTROS MUNICÍPIOS NA DÉCADA DE 30


A Doutora Sandra Nívea, em sua tese de doutorado sobre o Santanópolis, conseguiu identificar alunos de outras cidades que vieram se matricular no Ginásio Santanópolis na década de 30, evidenciando a importância deste estabelecimento na educação da região. Abaixo a tabela da origem do alunado oriundos de outras cidades.


ALUNO
ESTADO
ANO
Gerson Pelegrine de Brito
Rio Novo
Bahia
1936
José Elias de Mattos
Barra da Estiva
Bahia
1937
Aníbal Gomes Belo
José Maria Gomes Belo
Alípio Gomes Belo
Palmeiras Palmeiras Capão Grande/ Palmeiras Capão Grande/ Palmeiras

Bahia
1937 1937 1938
José Medrado Vaz Santos
Ápio Medrado Vaz Santos
Santa Terezinha
Bahia
1937 1941
Antonio Gonçalves Barreiros
Arnold de Souza Almeida
Tomaz de Lima Cardozo
Raimundo de Lima Cardozo Manoel Rodrigues Filemon de Lima Cardoso
Conceição da Feira


Bahia
1937
1938
1939
1940 1940/1943

domingo, 16 de novembro de 2014

ANIVERSÁRIO DE MARIA DAS GRAÇAS CUNHA PEREIRA (LOURA)


Parabéns Loura, por esta data marcante na sua vida, tomara que haja "replay", por muitos anos com muita felicidade.

A CONSULTA POPULAR

Hugo Navarro Silva
A oposição local, a que pretende combater o prefeito José Ronaldo,vem encontrando dificuldades para conseguir brechas por onde consolidar posições que possam resultar em lucros eleitorais. A administração municipal é operosa, cuidadosa e honesta, dificultando as ações oposicionistas. É que o governo de Feira de Santana, como outros raríssimos que ainda resistem no país,  parece  estar fora do que o ilustre jurista Luiz Flávio Gomes recentemente chamou de Brazilquistão, “onde o povo majoritariamente sabe muito bem o que é certo e o que é errado (...) embora viva mergulhado na corrupção e na malandragem”. O jurista afirma, com argumentos e números, que os maus e deploráveis exemplos vêm de cima, da cúpula, dos que deveriam ser modelos de higidez e de respeito, o que nos leva a acreditar, piamente, que em breve haverá reforma constitucional para incluir, no capítulo dos direitos fundamenteis do cidadão, na futura constituição da República artigo apontado pela propaganda oficial como  grande conquista do povo,  redigido mais  ou menos nos seguintes termos: Todo brasileiro tem o sagrado direito de furtar, responder a processo camarada e  se recolher à sua casa para descanso e tranquilo uso e gozo  do produto do furto.
Acredita-se que o espírito humano é por natureza progressista e que a busca pelo aperfeiçoamento vem das origens do mundo. O progresso, entretanto, pode ser traiçoeiro e perigoso para as conquistas humanas. São Paulo, por exemplo, com sua gigantesca capital, progrediu mais do que o resto do país a ponto de assumir o lugar que antes era dos Estados Unidos como sugador das riquezas nacionais, tomando o lugar do samericanos, combatidos pelos membros do antigo e atualmente embuçado PCB.
São Paulo, que se vem dando ao luxo de tentar dominar a informação  e  em  querer conquistar o predomínio até do futebol, com as suas conquistas e maravilhas não conseguiu encontrar remédios  para os perigos da estiagem  em  seus reservatórios de água. O Estado, que se jacta de se rconhecido como locomotiva a puxar os demais ,está agora diante de graves dificuldades, tentando lutar contra fenômeno semelhante ao que durante séculos, tem  fustigado o nordeste, dando lugar a comidilhas intermináveis,  ao surgimento de soluções mirabolantes e obras de arte valiosíssimas, comoventes, a enriquecer coleções e a  valorizar paredes,  feitas na maioria das vezes por quem só conhece do nordeste alguns hotéis  cinco estrelas.
O crescimento de Feira de Santana não foi previsto e muito menos planejado. Ocorreu ao acaso, aos tombos, subidas e descidas, muitas vezes como decorrência da intrepidez e da coragem de empreendedores. O primeiro ginásio da cidade, o “Donato de Souza”, não se aguentou. Teve que fechar as portas. Alguns anos depois Áureo Filho ao fundar o “Ginásio Santanópolis”, foi imediatamente havido por louco varrido e fadado ao fracasso. Venceu pela persistência e deu contribuiçãoainda hoje mal avaliada ao progresso de Feira.
A cidade encontra, agora, sério obstáculo à sua caminhada, com o desordenado crescimento da população e inevitáveis reflexos sobre a mobilidade urbana, que hoje conta com sistema de transporte público ineficaz. O remédio possível é o do BRT, sistema que implica, entretanto, em despesas que podem estar muito acima das possibilidades do erário municipal. O prefeito, entretanto, luta pela verba. Diante da possibilidade de realizar a obra, surge, agora,a oposição sugerindo a realização de audiência pública para tratar do assunto. A oposição quer ajudar ou deseja, apenas, complicar?
Hugo Navarro da Silva - Santanopolitano, foi aluno e professor do Colégio Santanópolis. Advogado, jornalista escreve para o "Jornal Folha do Norte". Gentilmente, a nosso pedido, envia semanalmente a matéria produzida

sábado, 15 de novembro de 2014

ANIVERSÁRIOS DE HOJE


Flora
Ôba, ôba nas residências de Floraci Moraes dos Reis (Flora) e Gertrudes Oliveira de Alcântara. O motivo é esta data. Parabéns às aniversariantes.

COMENDADOR HÉLIO OLIVEIRA DÓREA

Hélio Oliveira Dórea
Na última quinta-feira foi outorgada a “Comenda Maria Quitéria” ao Santanopolitano, jornalista,  Hélio, atualmente radicado em Vitória do Espírito Santo. O novo Comendador faz parte de tradicional família feirense dos Dóreas, 
Família Dórea:Sentado, Zêca,  Irmã dêles,
à direita Hélio e à esquerda 
Adroaldo


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

ANIVERSÁRIO DE JOSÉ AIRTON MARTINS MIRANDA


Zé Ratinho, como é conhecido, comemora aniversário hoje como muito axé. Parabéns e desejos mil no sucesso dos seus empreendimentos.

Filme do Santanopolis dos anos 60